Emprego formal na Argentina aumenta 7,7% em 2006

A Argentina conheceu nesta sexta-feira, 26, mais um indicador positivo de sua economia: o emprego formal no país cresceu 7,7% em 2006, comparado com 2005, segundo informou o ministro do Trabalho, Carlos Tomada, durante entrevista coletiva. "Estamos falando de dados que consolidam uma tendência iniciada há 51 meses; em todos os meses de nossa gestão, temos sustentado o processo de crescimento do emprego registrado", afirmou o ministro.Tomada destacou que o desemprego caiu graças ao crescimento da economia nos últimos quatro anos, em torno de 9% ao ano. A geração de empregos é fundamental no combate contra a pobreza, que afeta um terço da população. Apesar do aumento do emprego formal, o ministro afirmou que 42% dos trabalhadores do país estão em condições de subemprego, ou seja, não possuem carteira assinada, nem cobertura médica ou contribuições para aposentadoria.Segundo Tomada, "97% dos entrevistados do setor empregador manifestam que vão manter ou aumentar a dotação de pessoal", nos próximos meses. O desemprego ficou em 10,2% da população ativa no terceiro trimestre de 2006, de 10,4% do trimestre prévio e 11,1% de igual período de 2005. O Banco Central projeta uma taxa de desemprego de 9% para 2007.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.