Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Divulgação
Divulgação

Emprego industrial acumula queda de 3,4% nos 12 meses encerrados em janeiro

Na comparação com janeiro de 2014, indicador recuou 4,1%; em relação a dezembro de 2014, contração foi de 0,1%, aponta IBGE

Daniela Amorim, O Estado de S. Paulo

20 de março de 2015 | 10h35


RIO - O emprego na indústria teve ligeiro recuo de 0,1% na passagem de dezembro para janeiro, segundo a Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No mês anterior, o total de empregados tinha registrado crescimento de 0,3%, quando interrompeu oito meses de taxas negativas consecutivas, período em que acumulou uma perda de 4,3%. 

Em relação a janeiro de 2014, o emprego industrial recuou 4,1%, o 40º resultado negativo consecutivo nesse tipo de comparação. Nos 12 meses encerrados em janeiro, o total de trabalhadores ocupados na indústria acumula queda de 3,4%.

Folha de pagamento. O valor da folha de pagamento real dos trabalhadores da indústria recuou 0,5% em janeiro ante dezembro. 

A indústria de transformação registrou redução de 1,6%, mas houve influência positiva do setor extrativo, com alta de 9,1% influenciada pelo pagamento de participação nos lucros e resultados em importante empresa do setor, apontou o IBGE.

Na comparação com janeiro de 2014, a folha de pagamento real diminuiu 4,2%, a oitava taxa negativa consecutiva neste tipo de confronto. Nos 12 meses encerrados em janeiro, a folha de pagamento caiu 1,8%, o resultado negativo mais intenso desde fevereiro de 2010, quando a queda foi de 2,3%.

Horas pagas. O número de horas pagas aos trabalhadores da indústria aumentou 0,2% em janeiro ante dezembro. O resultado interrompe oito meses de taxas negativas consecutivas, período em que acumulou uma perda de 5,1%.

Na comparação com janeiro de 2014, entretanto, o número de horas pagas recuou 5,2%, a 20ª taxa negativa consecutiva. Nos últimos 12 meses encerrados em janeiro, as horas pagas na indústria acumulam uma queda de 4,1%.

Tudo o que sabemos sobre:
Mercado de trabalhoindústria

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.