coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Emprego industrial teve recuo de 0,1% em junho

O emprego industrial recuou 0,1% em junho, tanto na comparação com maio, quanto em relação a junho de 2005. Houve queda ainda no acumulado do primeiro semestre (-0,5%) e em 12 meses (-0,3%), na comparação com iguais períodos do ano passado. Segundo o documento de divulgação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta segunda-feira, "a tendência apontada pelo indicador de média móvel trimestral é de estabilidade, com variação de 0,1% entre os trimestres encerrados em junho e maio".Na comparação com junho do ano passado - não há detalhamento para os dados com ajuste sazonal (ante mês anterior) - sete dos 14 locais e 10 dos 18 setores pesquisados registraram decréscimo no número de trabalhadores na indústria. Os principais destaques regionais de queda foram Rio Grande do Sul (-8,5%), região Nordeste (-1,6%) e Paraná (-2,2%). No caso dos setores pesquisados, os principais impactos de queda vieram de calçados e artigos de couro (-12,6%), máquinas e equipamentos (-6,4%) e vestuário (-5,5%).As principais altas regionais no emprego no período foram registradas nas regiões Norte e Centro-Oeste (ambas com 9,8%), São Paulo (1,1%) e Pernambuco (3,2%). Entre os setores, os destaques positivos foram alimentos e bebidas (7,4%); máquinas, aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações (5,9%); e refino de petróleo e produção de álcool (12,8%). Folha de pagamento O valor da folha de pagamento real dos trabalhadores da indústria, na série livre de influências sazonais, cresceu 0,2% em junho ante maio. Nos demais indicadores, na comparação com iguais períodos do ano passado, os resultados da folha também foram positivos: 1,4% em relação a junho de 2005; 0,4% no acumulado no primeiro semestre e 1,6% no acumulado nos últimos 12 meses.

Agencia Estado,

14 de agosto de 2006 | 12h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.