Emprego na construção sobe em maio e recupera perdas de 2003

O nível de emprego na construção civil brasileira recuperou em maio as perdas verificadas em 2003. Pelo quinto mês consecutivo, o número de postos de trabalho no setor foi maior em comparação ao período anterior, de acordo com dados do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) e da GVconsult, com base em pesquisa do Ministério do Trabalho.Em maio, o nível de emprego na construção nacional subiu 1,33% em relação a abril, com a abertura de quase 15,9 mil vagas. Em relação a maio de 2003, aponta o sindicato, foram criados cerca de 35,8 mil postos de trabalho (+3,05%).No acumulado do ano, o número de vagas abertas na construção chega a 56,8 mil - somente em dezembro, haviam sido fechados 42 mil postos no setor. Na comparação dos cinco primeiros meses deste ano com o mesmo período do ano passado, o emprego no setor registra aumento de 0,64%, equivalente a ganho de cerca de 7,5 mil vagas.Segundo o SindusCon-SP, o nível de emprego na construção civil paulista também subiu em maio, se comparado a abril, com um aumento de 0,82% ou abertura de cerca de 2,9 mil vagas a mais. Em relação a maio de 2003, houve crescimento de 2,13% ou 7,6 mil vagas a mais.A construção civil brasileira contava em maio com 1,21 milhão de trabalhadores formais. Destes, 363 mil estavam no Estado de São Paulo Nos primeiros cinco meses do ano, foram abertos 17,2 mil postos de trabalho (+4,98%) na construção paulista.Na comparação dos primeiros cinco meses deste ano com o mesmo período de 2003, houve crescimento de 0,45%, o que corresponde à abertura de 1,6 mil vagas em média.O emprego da construção civil na região metropolitana de São Paulo teve variação positiva de 0,05% em maio, com a abertura de 92 vagas. Todas as outras regiões do Estado também apresentaram crescimento. O maior aumento foi verificado na Região Sudoeste (área de Sorocaba), com elevação de 2,36% ou 781 vagas a mais; seguida das Regiões Centro-Oeste (Bauru), com 5,85% ou 609 vagas a mais; e ABCD, com 2,58% ou 449 vagas a mais.De acordo com o levantamento, o emprego em edificações, responsável por 55% das vagas da construção paulista, teve aumento de 1,12% em maio, o equivalente à abertura de 2.225 vagas. Outro segmento que teve recuperação em maio foi o de obras de acabamento, com crescimento de 2,13% ou 825 vagas a mais. Registraram variação negativa no mês os segmentos de obras de instalação, com 433 vagas a menos (-1,44%), e infra-estrutura, com 133 vagas a menos (-0,72%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.