Emprego na indústria cresce 0,8% em setembro, diz IBGE

O emprego na indústria cresceu 0,8% em setembro ante agosto, segundo divulgou hoje o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Para o instituto, houve uma "reação do emprego industrial" no mês, já que foi a segunda expansão consecutiva ante mês anterior, com desempenho melhor do que o registrado em agosto (0,1%). Ou seja, pelo segundo mês consecutivo, o número de contratações no setor industrial superou o de demissões, na comparação com o mês anterior, na série livre de influências sazonais. Para o IBGE, o crescimento está "em consonância com a recuperação observada na atividade industrial". No entanto, os números de setembro foram insuficientes para reverter o quadro negativo apresentado nos demais resultados da Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário: no confronto com setembro de 2002, o índice ainda é negativo (-1,0%), assim como no acumulado no ano (-0,4%), e no acumulado dos últimos 12 meses (-0,3%). Segundo o IBGE, a abertura de postos de trabalho, verificada em setembro, tem reflexo nos índices de média móvel trimestral - considerados os principais indicadores de tendência -, que mostram o primeiro acréscimo frente ao mês anterior desde dezembro de 2002. Salário cai 0,6% ante mês anteriorA modesta reação do emprego industrial em setembro não evitou novas quedas na renda dos trabalhadores do setor. Na comparação com mês anterior, a indústria brasileira reduziu, pela segunda vez consecutiva, o valor real da folha de pagamento dos trabalhadores: entre agosto e setembro houve redução de 0,6%, já descontadas as influências sazonais. Segundo o IBGE, "este movimento de recuo é confirmado no índice de média móvel trimestral, que mostra perda de 0,5% no valor real da folha de pagamentos entre os trimestres encerrados em agosto e setembro deste ano". Nos demais indicadores, a folha de pagamento da indústria brasileira permanece mostrando perda real: -4,8% em relação a setembro de 2002; -5,9% no acumulado do ano até setembro e -5,1% nos últimos 12 meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.