Emprego na indústria de SP bate recordes em setembro

Empresas abriram 17 mil vagas; desde o início do ano, total chega a 175 mil

Marcelo Rehder, O Estadao de S.Paulo

11 de outubro de 2007 | 00h00

O emprego na indústria paulista bateu recordes no mês passado. Segundo levantamento divulgado ontem pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), as empresas do setor abriram 17 mil postos de trabalho no período, o que representou alta de 0,75% no nível de emprego em relação a agosto. Foi o melhor setembro dos últimos 14 anos.A quantidade de vagas abertas pelo setor desde o início do ano superou também o desempenho de 2004, melhor ano para a indústria até agora. Foram 175 mil empregos, ante 156 mil de janeiro a agosto de 2004.Os números, que refletem o crescimento econômico, puxado pela demanda interna, surpreenderam a Fiesp. A entidade decidiu rever para cima o prognóstico de crescimento do emprego para o ano, do intervalo de 3,5% a 4% para 4% a 4,5%. Foi a terceira revisão desde janeiro. ''''O desempenho do emprego tem nos surpreendido positivamente, mas rever projeções para cima é algo que sempre nos alegra'''', disse Paulo Francini, diretor do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da Fiesp.Para Francini, o ano de 2004 foi quase eufórico. ''''O PIB (Produto Interno Bruto) cresceu 5%, a indústria de transformação teve alta de 8% e a de São Paulo, de 12%'''', argumentou. ''''Em 2007, não atingiremos a euforia de 2004, mas o comportamento da indústria está muito satisfatório e se vê isso pelo nível d e investimento''''.Na avaliação do diretor da Fiesp, a indústria paulista deverá crescer acima dos 5% inicialmente previstos pela Fiesp. Segundo ele, o crescimento está se disseminando nos vários segmentos da indústria, que não depende mais apenas das usinas de açúcar e álcool para geração de empregos.No mês passado, 18 setores contrataram, enquanto um manteve estável o quadro de pessoal e somente dois demitiram. O setor de refino de petróleo, combustíveis nucleares e álcool foi um deles.''''As encomendas do comércio para as vendas de fim de ano estão sendo realizadas e não enxergamos no horizonte nenhuma ameaça que comprometa o bom desempenho da indústria em outubro, novembro e dezembro'''', disse Francini.O diretor da Fiesp destacou o bom desempenho do emprego no setor de máquinas e equipamentos, onde o indicador acumula no ano alta de 9,63%. De acordo com ele, é sinal que as empresas estão investindo para ampliação da capacidade instalada.''''Esse movimento está associado ao espírito empresarial de olhar para o futuro com otimismo'''', disse Francini. ''''Se os empresários não estivessem otimistas, não estariam investindo.'''' Para ele, não há risco de inflação por falta de capacidade da indústria para atender o aumento da demanda, como temem alguns analistas.Os números divulgados ontem pela Fiesp indicam que a criação de empregos pela indústria paulista deverá superar a marca de 100 mil vagas este ano, fato só registrado até agora em 2004. De acordo com a entidade, a indústria sucroalcooleira responde por 100 mil dos 175 mil empregos criados até setembro. Se for mantida a tendência verificada em 2006, o setor pode demitir até 85 mil empregados até o fim do ano, por uma característica sazonal da produção. Mas outros setores devem contratar mais nos próximos meses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.