Emprego na indústria de SP tem maior alta do ano em abril

A indústria paulista criou 9.144 vagas em abril, o que representa um crescimento de 0,47% no nível de emprego sobre março. De acordo com pesquisa mensal realizada pelo Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) foi o melhor resultado de 2005 e a maior variação para o mês de abril desde janeiro de 2003, quando a nova metodologia da pesquisa passou a ser aplicada. Em abril de 2004, foram criadas 7.617 vagas e, no mesmo mês de 2003, 901. Na comparação com abril de 2004, o aumento no nível de emprego pesquisado entre 32 diretorias regionais do Ciesp foi de 7,3% em abril.Os números apresentados pela entidade mostram que o nível de emprego nos primeiros meses de 2005 registraram variações muito próximas às verificadas no mesmo período do ano passado. O que chama a atenção é que o crescimento de 2005 ocorre em bases de comparação mais altas do que as verificadas em 2004/ 2003. No ano passado, o emprego industrial subiu 5,1%, um número comemorado. E no acumulado de 12 meses, a variação se mantém no mesmo patamar.No entanto, ponderou o diretor do Departamento de Economia do Ciesp, Boris Tabacof, não se pode julgar o comportamento da indústria apenas por números. Conta a expectativa do empresário, disse, completando que o Brasil precisa de um crescimento muito maior. O País cresce pouco, muitoaquém das nossas necessidades, afirmou.Tabacof disse que a tendência para os próximos meses é de arrefecimento no nível de emprego, já que o câmbio na casa de R$ 2,40 e os juros em 19,75% são utilizados, de fato, para limitar o crescimento do País. Também não está claro para nós se a indústria vai ou não investir em produção. Há muita incerteza, afirmou.A região de Presidente Prudente (oeste do Estado) registrou o melhor desempenho entre as diretorias regionais pesquisadas. Puxada pela sazonalidade da safra de açúcar e álcool, a indústria sucro-alcooleira de Presidente Prudente registrou o melhor desempenho em criação de empregos. A alta foi de 2,93%, seguida por 2,85% em Piracicaba e 2,81% de Sertãozinho. O diretor do Ciesp de Presidente Prudente, Itamar Alves de Oliveira Junior, disse que o município era conhecido pelo grande número desem-terra. Mas a agroindústria voltou à região, com a reativação de duas usinas e a construção de outras duas. Agora, vamos combater a baderna dos sem-terra com a geração de empregos, justificou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.