Emprego na indústria fluminense é recorde no 1º trimestre

O aumento de emprego na indústria fluminense no primeiro trimestre deste ano foi recorde e atingiu 9 de 13 setores. A alta, de 3,3%, é a mais alta desde o início da pesquisa de Indicadores Indústrias da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), em 1992. "Este mês, o pessoal ocupado aumentou 0,4% e as empresas responderam que estavam repondo pessoal por causa da expectativa de aumento de produção e pelo aumento de pedidos", disse à Agência Estado a chefe da Assessoria Econômica da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), Luciana Marques de Sá.O aumento de emprego, de gastos públicos, do salário mínimo e a redução de juros este ano devem aumentar a demanda este ano, acredita a economista. "Acho que os efeitos da redução da taxa de juros já ocorrida não se fizeram sentir totalmente", disse Luciana, que espera a continuidade do processo de decréscimo da Selic, embora em velocidade menor, em torno de 0,5% ao mês.De acordo com ela, a expectativa de crescimento das vendas da indústria em 2006, apesar da queda de 0,40% no primeiro trimestre deste ano. Luciana Marques de Sá vê riscos, porém, para a sustentabilidade do crescimento econômico no futuro se não forem tomadas medidas para deter o crescimento dos gastos públicos.

Agencia Estado,

02 de maio de 2006 | 19h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.