Emprego na indústria voltou a cair em dezembro

O emprego na indústria voltou a cair em dezembro do ano passado, com redução de 1% ante novembro e de 1,7% na comparação com igual mês de 2000, segundo dados divulgados hoje pelo IBGE. Nos últimos dois meses de 2001 houve perda acumulada de 2% no número de trabalhadores na indústria, já que também foi registrada queda de 1% no emprego industrial em novembro na comparação com outubro.Os destaques da quedaA queda de 1,3% registrada entre novembro e dezembro no emprego industrial em São Paulo ampliou o impacto do Sudeste (-1,3%) sobre a redução na ocupação na indústria no período. O nível de emprego da indústria paulista registra queda desde setembro passado, sendo que 3,4% dos postos de trabalho na região foram cortados entre agosto e dezembro. Outro destaque de queda entre novembro e dezembro foi a região Sul (-1,2%), com diminuições de 1,5% no Paraná, 1,2% em Santa Catarina e 1,1% no Rio Grande do Sul. A queda no emprego industrial no período ocorreu em 12 das 14 áreas pesquisadas pelo IBGE e atingiu especialmente os segmentos de alimentos e bebidas (-1,4%), calçados e couro (-3,4%) e vestuário (-2,3%). Folha de pagamento diminuiO valor da folha de pagamento na indústria brasileira caiu 1,2% em dezembro do ano passado ante igual mês de 2000, influenciada especialmente pelo resultado de São Paulo (-3%), segundo divulgou hoje o IBGE. Por outro lado, o pagamento da última parcela do 13º salário teve impacto positivo sobre a folha em dezembro ante novembro, com crescimento de 22,8%. Na comparação entre os meses de dezembro de 2001 e do ano anterior, entre as 14 regiões pesquisadas pelo IBGE tembém registraram queda no valor da folha, Paraná (-4,7%), Bahia (-3,9%), Sudeste (-2,4%), Rio de Janeiro (-1,9%), regiões Norte e Centro-Oeste (-0,7%) e Minas Gerais (-0,1%). Por outro lado, sete áreas investigadas tiveram crescimento, com destaque para o Ceará (7,6%), Espírito Santo (5,6%) e Santa Catarina (5,5%). Houve resultados positivos também no Rio Grande do Sul (4,1%), Nordeste (2,4%), região Sul (1,8%) e Pernambuco (0,3%). Em termos setoriais, a maior queda no indicador nessa base de comparação ocorreu em fabricação de meios de transporte (-9%), enquanto os destaques de alta foram fornecidos pelas indústrias extrativas (6,9%) e de metalurgia básica (5,0%). Número de horas paga recuaO número de horas pagas na indústria registrou queda em dezembro nas duas bases de comparação, ou seja, ante mês anterior (-1,9%) e igual período de 2000 (-2,3%). A principal influência negativa no indicador foi de São Paulo, com queda de 2,6% ante novembro e de 3,5% sobre dezembro de 2000. Em termos setoriais, na comparação com novembro os principais destaques de queda foram alimentos e bebidas (-2,2%), vestuário (-3,2%) e calçados e couro (-3,7%). Já no indicador ante dezembro de 2000, as maiores reduções ocorreram em madeira (-10,5%), máquinas e aparelhos elétricos, eletrônicos e de comunicações (-7,7%) e alimentos e bebidas (-1,7%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.