Emprego na produção industrial sobe 0,42%, segundo a CNI

O número de pessoas empregadas na produção industrial teve alta de 0,42% em novembro do ano passado em relação a outubro, na série com ajuste sazonal. Segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI), pelo dado dessazonalizado, este foi o 12º mês consecutivo de crescimento no número de pessoas empregadas na produção. "Esta tem sido uma característica positiva do atual ciclo de expansão industrial", diz a CNI em nota divulgada nesta terça-feira. Na comparação de novembro de 2006 com o mesmo mês de 2005, o número de pessoas empregadas teve expansão de 3,88%. Na comparação de janeiro a novembro em relação ao mesmo período de 2005, o número de pessoas empregadas na produção teve crescimento de 2,05%. O número de horas trabalhadas na produção teve, em novembro do ano passado, queda de 0,74% em relação a outubro. "A queda das horas trabalhadas em novembro foi influenciada pela elevada base de comparação do mês de outubro, quando as horas trabalhadas, que cresciam há cinco meses consecutivos, registraram o maior avanço mensal dos últimos 18 meses. Não se trata, portanto, de um sinal de reversão da tendência de expansão da atividade industrial", diz a CNI. Na comparação entre novembro de 2006 com novembro de 2005, as horas trabalhadas tiveram uma expansão de 3,58%. No acumulado de janeiro a novembro do ano passado, as horas trabalhadas tiveram um avanço de 1,89% em relação ao mesmo período de 2005. VendasAs vendas reais tiveram, em novembro, uma queda de 0,33% ante outubro do ano passado. A CNI ressalta, na nota divulgada nesta terça, que a queda ocorreu após um crescimento de 3,46% das vendas reais no período de setembro a outubro. "O crescimento da massa salarial, resultado das expansões conjuntas do nível do emprego e do rendimento real médio da população ocupada, e o aumento do volume de crédito concedido têm contribuído decisivamente para o bom desempenho das vendas reais", diz a nota da CNI. Na comparação de novembro do ano passado com novembro de 2005, as vendas reais tiveram crescimento de 3,69%. Na comparação de janeiro a novembro de 2006 com janeiro a novembro de 2005, as vendas reais tiveram crescimento de 1,63%. Já a utilização da capacidade instalada da indústria ficou estável entre outubro e novembro no ano passado. Na nota, a CNI destaca que a utilização da capacidade instalada vem se mantendo em torno de 82% já há sete meses. Em relação a novembro de 2005, o uso da capacidade instalada subiu de 81,7% para 82%.CrescimentoSegundo a CNI, a queda no faturamento e nas horas trabalhadas em novembro não indicam alteração na tendência de crescimento da atividade industrial. "Trata-se de uma acomodação da atividade produtiva, o que é normal após os expressivos aumentos observados em setembro e outubro", diz em nota.A entidade também destaca que as expansões da renda das famílias e do crédito proporcionam um cenário favorável para a indústria. Segundo a CNI, o aumento da renda e do crédito tem sustentado o crescimento da demanda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.