Emprego na zona do euro cai pelo 3º tri consecutivo

O número de pessoas empregadas na zona do euro diminuiu em 1,2 milhão no primeiro trimestre, o maior declínio desde 1995, início dos registros, segundo a agência de estatísticas Eurostat. Em termos porcentuais, o número de trabalhadores ativos caiu 0,8%. Foi o terceiro trimestre consecutivo de queda no emprego. Na União Europeia, por sua vez, foram fechados 1,9 milhões de postos de trabalho no período. No quarto trimestre de 2008, o emprego diminuiu em 0,4%, enquanto que no terceiro trimestre, caiu 0,2%. Na comparação anual, o emprego caiu 1,2%.A Espanha voltou a ser o segundo país europeu que mais fechou postos de trabalho - queda de 3,1% em relação ao trimestre anterior, superada apenas pela Lituânia, queda de 4,5%. A Espanha ainda apresenta queda de 6,4% no nível de emprego na comparação com o primeiro trimestre de 2008, taxa só inferior à de Letônia (-8,2%) e Estônia (-7,2%). Também houve perdas de postos de trabalho no Reino Unido (-0,5%), França (-0,4%), Itália (-0,3%) e Alemanha (-0,3%). Segundo a Eurostat, a perda se intensificou no primeiro trimestre tanto na UE, quanto na eurozona. Nesse período, havia 223,8 milhões de pessoas empregadas na UE, sendo 146,2 milhões nos países que usam o euro como moeda. Em termos anualizados, o emprego caiu 1,2 % entre janeiro e março de 2009 tanto nos países do euro, quanto na UE, depois de ter permanecido estável na eurozona e ter crescido 0,2% no bloco no quarto trimestre de 2008. AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.