Emprego: não perca sua chance

O grande destaque é a área de telecomunicações. "As operadoras que estão se instalando precisam de mão de obra e acabam movimentando outros setores ligados à ela". A análise é do diretor executivo do Grupo Foco, João Rodrigues Canada Filho. A empresa trabalha com todos os níveis de recrutamento, do office boy ao presidente.Canada diz que nos últimos dois anos houve um aumento na demanda por profissionais, principalmente a partir de média gerência. "Se compararmos o 1° semestre de 2000 como o mesmo período de 99, o crescimento de oferta foi de 15% a 20%", afirma. Segundo o executivo, o setor de telemarketing chegou a oferecer 200 vagas num único mês. "Na Internet, o crescimento da oferta de empregos crescer 50%", acrescenta.Melhores saláriosCanada diz que, nesses mercados em desenvolvimento, a remuneração do profissional aumentou. Na área de telecomunicações, os salários aumentaram 10% dos salários e, no setor de Internet, até 20%. Em alguns cargos, a remuneração é bastante atraente. "Um alto executivo de uma empresa desta área chega a ganhar R$ 500 mil por ano. Nas grandes indústrias, um presidente chega a ganhar R$1 milhão por ano", exemplifica. A situação é diferente nos chamados cargos universais. "Um contador, gerentes da área fiscal por exemplo, são cargos que oferecem pouca mobilidade. Os profissionais se especializam em funções, e não no segmento como um todo, e têm menos chances de promoções significativas", justifica Canada.Emprego temporário também vem crescendoO número de vagas abertas para funcionários temporários e terceirizados cresceu 70% em julho deste ano em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados são da Adecco -Top Services, especializada no setor. O número de funcionários contratados por meio da empresa cresceu 12% entre abril e julho.A expectativa é que a demanda por trabalhadores terceirizados e temporários cresça 30% neste segundo semestre. " Normalmente, o 2° semestre é melhor devido a Dia das Crianças, Natal e, além disso, este ano as eleições devem ajudar muito. Todos esses fatores ainda serão reforçados pela estabilidade financeira", afirma a diretora de seleção e qualidade Lourdes Garcia.Segundo ela, o destaque é a área de promotores de vendas, cuja grande vantagem é que há mais oportunidades para quem nunca trabalhou antes ou para quem está fora do mercado há algum tempo e quer voltar. " O trabalho temporário não exige muita qualificação", explica Lourdes.Veja a seguir: planeje sua carreira

Agencia Estado,

15 de agosto de 2000 | 18h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.