Empreiteiras e MPF tentam acordo com TCU

Objetivo é preservar os acordos de leniência já homologados

Josette Goulart, Impresso

01 de abril de 2017 | 16h20

As três grandes empreiteiras do País, junto com os procuradores da Lava Jato, estão tentando chegar a um consenso com o Tribunal de Contas da União e já têm uma proposta para apresentar aos ministros do TCU. Segundo fontes que participaram na sexta-feira de reunião com os procuradores para discutir o assunto, a ideia é propor que o TCU passe a fazer parte dos acordos de leniência. O papel do tribunal seria o de ajudar a definir o valor total dos danos provocados por atos de corrupção das empresas que fazem leniência.

O TCU, porém, não teria a prerrogativa de validar os acordos fechados com o Ministério Público. Além disso, Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa e Odebrecht não teriam de fazer novos desembolsos além do já acertado com o MPF. Isso só aconteceria caso descumprissem o acordo. Já as empresas que estiverem envolvidas nos mesmos atos a serem analisados em processos administrativos do Tribunal, mas que não fizeram acordo de leniência, teriam de pagar o valor integral correspondente às suas participações.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.