Empresa alemã arremata Fortaleza e Porto Alegre

Terminal gaúcho foi um dos mais disputados do leilão

Luciana Collet, Victor Aguiar, O Estado de S.Paulo

16 de março de 2017 | 23h09

O potencial de negócios de Porto Alegre foi o que motivou a operadora alemã Fraport a oferecer um ágio de 844,7% sobre o valor de outorga inicial mínimo pelo terminal gaúcho, ou R$ 290,512 milhões. O aeroporto foi um dos mais disputados do leilão, recebendo oito lances, ou seis propostas em viva-voz, e foi o que registrou o mais alto ágio, embora seja necessário considerar que também se tratava do terminal com menor valor inicial, de apenas R$ 31 milhões.

Em entrevista à imprensa, a vice-presidente executiva sênior da Fraport, Aletta von Massenbach, explicou que o forte interesse está relacionado ao potencial da região como “centro de negócios”. Segundo ela, a análise econômica sobre as especificidades desse mercado fez com que a companhia se interessasse pela concessão.

A Fraport também conquistou o terminal de Fortaleza, após apresentar um lance de R$ 425 milhões, ágio de 18%. O aeroporto também foi disputado, neste caso com a francesa Vinci. Sobre o aeroporto nordestino, Aletta salientou que a transformação do terminal não se dará tanto com novas construções, mas com a melhoria dos serviços. “O mais importante é o que oferecer, o que podemos fazer para atrair o interesse das companhias aéreas.”

Tanto no caso de Fortaleza como do de Porto Alegre, ela salientou que a operadora conta com o crescimento da operação das aéreas nos terminais, mas minimizou a importância em atrair empresas estrangeiras. “Se são internacionais ou não, não interessa, não faz diferença. O mercado de aviação é muito bom e temos um número de players suficientes.” 

Tudo o que sabemos sobre:
Porto AlegreFraportFortalezaVinci

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.