Empresa anuncia construção de fábrica de biodiesel no MT

A Archer Daniels Midland (ADM) anunciou nesta quinta-feira que tem planos de construir no Brasil uma fábrica de biodiesel com capacidade anual de processamento de 180 mil toneladas. O local escolhido para a instalação da unidade foi Rondonópolis (MT), onde a empresa já possui uma fábrica de processamento de soja, mas ainda depende de aprovação legal e técnica para iniciar as obras.Em nota, a empresa informa que as operações estão previstas para terem início no primeiro semestre de 2007 e usará óleo de soja como matéria-prima. O objetivo é iniciar a produção e aproveitar o decreto do governo brasileiro que irá adicionar 2% de biodiesel ao diesel comum a partir de 2008 e 5% a partir de 2013.A estratégia principal é atender a demanda dos produtores e dos setores de transporte rodoviário e ferroviário. No entanto, a empresa poderá funcionar como prestadora de serviços para os agricultores, produzindo biodiesel e farelo de soja de acordo com a necessidade de cada um.Investimento A empresa não divulgou o valor do investimento que será feito, mas fonte do setor informa que a expectativa da ADM é aplicar entre US$ 30 milhões e US$ 35 milhões para a construção da fábrica. Segundo a fonte, a empresa terá acesso a uma soja barata e um mercado cativo, pois, no Mato Grosso, o óleo diesel comum é um dos mais caros do Brasil."A ADM é líder na produção de biodiesel na Europa, e temos muita satisfação em usar esta ampla experiência para ajudar a atender a demanda por este combustível biológico no Brasil", afirmou, na nota, Mathew Jansen, presidente de operações para a América do Sul. "Como líder mundial no processamento de soja e na produção de biodiesel, a nossa participação no mercado brasileiro de biodiesel é um complemento para os nossos negócios".A empresa iniciou suas atividades no Brasil em setembro de 1997 e já é uma das maiores processadoras de soja do País e uma das maiores exportadoras brasileira. A ADM tem quatro fábricas de processamento de soja (Campo Grande, Uberlândia, Joaçacaba e Rondonópolis (capacidade de 2 milhões de toneladas/ano). Ao total a ADM processa 3,5 milhões de toneladas por ano e teve um faturamento no Brasil em 2005 de US$ 1,98 bilhão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.