Empresa brasileira disputará construção de linhas na Argentina

Investimento será de US$ 392,7 milhões; Alusa disputará licitação com companhias espanholas e argentinas

Efe,

28 Outubro 2008 | 03h56

O governo da Argentina anunciou nesta segunda-feira que a companhia brasileira Alusa vai disputar, com empresas espanholas e argentinas, uma licitação para a construção de uma linha de transmissão elétrica no oeste do país, que demandará um investimento de US$ 392,7 milhões. Em um ato liderado pela presidente argentina, Cristina Fernández de Kirchner, as companhias formalizaram nesta segunda a apresentação dos antecedentes técnicos para a obra, que prevê o levantamento de torres ao longo de 708 quilômetros entre as províncias de San Juan, Mendoza e Neuquén. Além da Alusa, participarão da licitação as argentinas Electroingeniería e Teltres, as espanholas Elecnor, Cobra Instalaciónes y Servicios e Teyma Abengoa, além do consórcio Linsa (das argentinas Cartellone e Iecsa e das espanholas Isolux e Corsán). A obra, que deve começar em junho de 2009, será financiada pela Corporação Andina de Fomento (CAF), pelo governo argentino e pelas Administrações regionais de San Juan e Mendoza. A entrada em operação da linha de transmissão está prevista para junho de 2010, disseram fontes oficiais. A presidente argentina afirmou que a obra faz parte do plano energético lançado em 2004 por seu marido e antecessor no cargo, Néstor Kirchner (2003-2007), para atenuar a crise que o país enfrentava devido à falta de gás.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.