Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Empresa contesta marca BBM, do BlackBerry

Empresa canadense abre processo e pede que o serviço de mensagens da RIM, dona do BlackBerry, deixe de usar a sigla

TORONTO, O Estado de S.Paulo

26 de dezembro de 2011 | 03h05

A Research in Motion, depois de se ver forçada a mudar o nome de um sistema operacional que nem mesmo entrou em operação, enfrenta problema semelhante ao seu popular serviço de mensagens instantâneas BlackBerry Messenger.

O serviço, que permite que usuários do BlackBerry troquem mensagens de texto e arquivos, além de verificar quando foram entregues e lidos, é amplamente conhecido e promovido pela RIM com o uso da sigla BBM.

Isso incomodou a BBM Canada, empresa que mede audiência de rádio e TV e que contestou esse uso em um processo aberto em fevereiro. O presidente da empresa, Jim MacLeod, disse que quer que a RIM deixe de usar a sigla BBM em sua publicidade, mas também que poderia considerar uma mudança de nome, pelo preço correto.

"Temos de ser práticos: eles operam em todo o mundo e nós, não. Mas não estamos preparados para simplesmente abrir mão de nosso nome."

A RIM lançou seu serviço de música BBM Music nos últimos meses e promoveu fortemente aplicativos desenvolvidos fora da empresa que o combinam ao seu serviço de mensagens instantâneas. "Estou certo de que, para uma grande empresa, os números parecem pequenos, mas, para nós, eles importam", disse MacLeod.

BBX. No começo do mês, a RIM abandonou a identificação "BBX" para seu novo sistema operacional depois de a Basis International, dos Estados Unidos, obter uma liminar que proibia o uso da marca. A RIM decidiu mudar o nome da plataforma para BlackBerry 10.

A BBM Canada foi estabelecida em 1944 como Bureau of Broadcast Measurement, e mudou seu nome para BBM Canada no início dos anos 90. A companhia, controlada por um grupo de redes de mídia eletrônica e anunciantes, tem faturamento anual de cerca de US$ 50 milhões. Somente no trimestre passado, a RIM contabilizou US$ 5 bilhões em vendas. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.