coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Empresa de informática Cisco começa a demitir 2 mil nos EUA

Outras companhias do setor que pretendem eliminar vagas são a Microsoft e a fabricante de softwares SAP

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

26 de fevereiro de 2009 | 08h47

A Cisco Systems dispensou centenas de empregados esta semana, juntando-se a outras gigantes de tecnologia que cortaram vagas a fim de enfrentar a recessão, informou o The Wall Street Journal. Veja também: As medidas do emprego De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise  As demissões correspondem à primeira parte de um corte planejado de mais de 2 mil empregos. Segundo o porta-voz da Cisco, a empresa americana eliminou na última terça-feira cerca de 250 funcionários da sua sede em San José, na Califórnia. A empresa cortou outras vagas em escritórios nos Estados Unidos e em outros países. O número total de vagas eliminadas ainda não está claro."A Cisco está constantemente avaliando suas prioridades de negócios, recursos e alinhamento de empregados em geral, como parte de nosso processo de administração", afirmou a companhia em comunicado. A empresa classificou a medida de "reestruturação limitada" e disse que ocorrerão mais demissões.O executivo-chefe da Cisco, John Chambers, afirmou no dia 4 de fevereiro para analistas de Wall Street que a companhia demitiria entre 1.500 e 2.000 empregados. O executivo declarou que não faria nenhuma demissão em massa, que ele definiu como um corte de 10% da força de trabalho. A Cisco encerrou janeiro com 64 mil empregados.Outras companhias que pretendem eliminar vagas são a Microsoft (5 mil, nos próximos 18 meses) e a fabricante de softwares SAP (3 mil). As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Crisedemissões

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.