Empresa de segurança na web espera crescer 100% no Brasil

A Symantec, fornecedora mundiais de software de segurança, quer dobrar a participação da subsidiária brasileira no resultado global da companhia nos próximos dois anos. Atualmente, os negócios no País correspondem a cerca de 1% do faturamento da companhia, projetado em US$ 1,33 bilhão para o ano fiscal de 2003, que se encerra em março."Em no máximo dois anos, responderemos por cerca de 2% do faturamento global", disse o diretor-geral da subsidiária brasileira, Orlando Barbieri, que assumiu o cargo há um mês. Barbieri tem como meta crescer 30% em volume de negócios no próximo ano fiscal, a fim de chegar à participação de dois pontos porcentuais na receita da corporação.De acordo com ele, o aumento da participação das subsidiárias no faturamento da companhia já vem sendo registrado nos últimos meses. No ano fiscal de 2002, por exemplo, a maior parte dos negócios da companhia, que somaram US$ 1,071 bilhão, foi fechada fora dos Estados Unidos, onde fica a matriz. "Os números, por eles mesmos, já mostram como as operações internacionais se tornaram importantes para a companhia", afirma o diretor-geral. Para superar os US$ 10 milhões de faturamento no País, a estratégia da companhia passará por alianças com consultorias de segurança em Internet, fornecedores de soluções complementares às da Symantec ? são apenas três as categorias de produtos de segurança que não são oferecidas pela gigante ? e pelo foco no mercado corporativo. "Já conseguimos a liberação de recursos para instalação de um show room no País e vamos negociar mais investimentos", afirmou Barbieri, sem divulgar os números oficiais.O portfólio da companhia é comercializado no País por cinco distribuidores e 2 mil revendas. "Não precisamos mais que isso. Mas vamos investir bastante no treinamento desses vendedores", disse.De outubro a dezembro do ano passado, a Symantec do Brasil comercializou 100 mil caixas de software da companhia, volume equivalente a 1,3% das vendas mundiais. No mesmo período, a divisão de Enterprise Security, voltada ao mercado corporativo, registrou crescimento de 38% nas vendas, em relação ao trimestre anterior. Em operação desde 1996, a subsidiária brasileira da Symantec emprega 50 pessoas, nas áreas administrativa, técnica e de marketing. "Não faz parte dos planos da filial comercializar diretamente os pacotes de segurança", afirmou.Presente em 38 países, a Symantec emprega cerca de 4 mil profissionais em todo o mundo e opera seis centros de pesquisa e resposta, por meio dos quais a companhia detecta a existência de novos vírus, dispara alertas e programas antivírus.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.