Empresa do grupo J&F pode ter R$ 2 bi do FI-FGTS

BRASÍLIA - O comitê de investimentos do FI-FGTS, segundo maior fundo financiador de infraestrutura do País, autorizou ontem a Caixa a avaliar o aporte de R$ 2 bilhões na Ampla Infraestrutura e Construções, novo nome da J&F Infraestrutura, empresa de energia da holding que também controla o frigorífico JBS. Segundo o Estado apurou, o sinal verde teve aprovação unânime dos 12 membros do colegiado, formado por membros indicados pelo governo e representantes de centrais sindicais e associações patronais.

MURILO RODRIGUES ALVES, O Estado de S.Paulo

28 de agosto de 2014 | 02h05

O fundo, porém, adiou a autorização final para o financiamento de cerca de R$ 600 milhões à concessionária de rodovias CCR, que tem como acionistas Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa e Soares Penido, para a recuperação da rodovia Presidente Dutra.

A operação, noticiada em julho, quando o comitê do FI-FGTS aprovou o relatório preliminar, estava na pauta de ontem. O representante da Força Sindical, Luiz Fernando Emediato, pediu vista do processo, por orientação da central sindical, argumentando dúvidas sobre o financiamento. Essa operação deve voltar a ser apreciada na próxima terça-feira.

Em 2014, até agora, nenhuma autorização final à Caixa para realizar investimentos foi aprovado pelo comitê. O chamado relatório final aborda todos os aspectos relevantes da companhia interessada nos recursos, bem como formaliza a proposta com os termos e as condições da operação.

O FI-FGTS, que usa o superávit do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para o financiamento de obras de infraestrutural, tem desembolsos da ordem de R$ 30 bilhões. Para 2014, a Caixa tem sinal verde do conselho curador do FGTS para aplicar o volume recorde de R$ 10 bilhões em projetos. O banco diz que analisa mais de 100 projetos de rodovias, portos, hidrovias, ferrovias, energia, saneamento e aeroportos. A assessoria da Caixa informou que não comenta decisões do comitê do FI-FGTS.

O grupo J&F tem interesses em ampliar sua presença na área de infraestrutura. No fim de 2012, a empresa de energia da holding adquiriu quase a totalidade de um outro fundo de investimento administrado e gerenciado pela Caixa. No fim de 2013, a Ampla informou que acumula quase R$ 8 bilhões em prejuízos. No entanto, a holding J&F Investimentos aumentou o capital da empresa, em 31 de dezembro, em R$ 21,4 bilhões. Isso elevou o patrimônio líquido da companhia a R$ 13,5 bilhões positivos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.