finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Empresa dos EUA fará manutenção de reversos da TAM no Brasil

A TAM vai anunciar nasexta-feira um acordo com a norte-americana Goodrich para amanutenção de reversos das aeronaves da companhia aérea,afirmou o vice-presidente técnico da empresa, Ruy Amparo. Segundo a TAM, anteriormente, os procedimentos de consertoeram realizados no Brasil em caso de pequenos reparos emandados ao exterior, às vezes para a própria Goodrich, em casode manutenções maiores de um componente. Amparo disse que a empresa avaliou, contudo, que passou aser menos custoso ter uma parceira para realizar tais consertosde maior escala dentro do Brasil. O investimento da Goodrich para operar no centrotecnológico da TAM em São Carlos será de 12 milhões de dólares.A companhia aérea pretende injetar 2 milhões de dólares paraconstruir um prédio no qual ficará a empresa norte-americana,que já tem negócios de pneus no país. "Nós fazemos parte desse trabalho aqui, mas, desde já,contaremos com técnicos deles no nosso centro e, em até 15meses, eles devem estar instalados", disse Amparo a jornalistasque visitaram as instalações nesta quinta-feira. O Airbus A320 da TAM que se acidentou em São Paulo, no mêspassado, matando 199 pessoas, estava com um dos reversosinoperantes. Na quarta-feira, o comandante da Aeronáutica, brigadeiroJuniti Saito, afirmou à CPI da Crise Aérea que o aviãopresidencial não voa sem o reverso funcionando, por questão desegurança. O avião da Presidência é um Airbus 319. O tempo de vida útil de um reverso acompanha o do avião, deaté 40 anos, disse a TAM. O custo de manutenção de um dessesaparelhos pode chegar a cerca de 100 mil dólares e a peçainteira, a aproximadamente 500 mil dólares. A assessoria de imprensa da TAM disse que, além do reverso,a Goodrich fará a manutenção de capôs laterais, entradas de are cones de exaustão, componentes que também ficam ao redor daturbina. Segundo Amparo, essa é a primeira operação do tipo daGoodrich no Brasil, o que não a impedirá de fazer acordos comoutras empresas aéreas brasileiras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.