Empresa implantará novos resorts e hotéis no País

A MBC Consultoria Hoteleira anuncia o fechamento de um contrato com um rede de hotéis norte-americana para implantação de dois resorts no País, que receberão investimentos de R$ 85 milhões. A empresa está concluindo ainda um estudo de viabilidade no Mato Grosso do Sul e a construção de 50 hotéis executivos, projeto este orçado em R$ 400 milhões. De acordo com o diretor de desenvolvimento da MBC, Paulo Meira, os quatro empreendimentos foram negociados com a mesma operadora, mas terão bandeiras diferentes. O executivo preferiu, porém, não divulgar o nome da empresa.Meira explica que um dos resorts será construído em Novo Airão, no Amazonas. O empreendimento, que receberá investimentos de R$ 35 milhões, terá 196 apartamentos e prazo de conclusão para o segundo semestre de 2005. "Os recursos serão viabilizados por um grupo de investidores de São Paulo e de Manaus", afirma.O outro resort, orçado em R$ 50 milhões, será construído na Praia de Pitangui, a 30 quilômetros de Natal, no Rio Grande do Norte. O hotel vai operar sob o sistema "all inclusive" e terá 300 apartamentos. A abertura também está prevista para o segundo semestre de 2005. Nesse caso, 70% do investimento será financiado pelo Banco do Nordeste e o restante por um grupo de investidores de São Paulo.Há um terceiro projeto, em estudo prestes a ser concluído. O empreendimento, orçado em US$ 15 milhões, fica na Fazenda Eldorado, no Pantanal dos Paiaguás (MS), e contempla 48 exclusivos apartamentos em bangalôs, seguindo o estilo de hotéis similares da África. A diária média prevista deve alcançar US$ 350,00.O diretor da MBC explica que os investimentos baseiam-se no plano de governo de elevar de 4 milhões para 9 milhões o número de turistas estrangeiros no Brasil até 2007. "Uma das metas do governo é elevar os negócios de turismo no Brasil dos atuais US$ 3 bilhões para US$ 8 bilhões no mesmo período", explica. Hotéis executivosHá seis meses, os executivos da MBC estão trabalhando também num plano que contempla a implantação de 50 hotéis executivos em cidades-chave do Brasil, desde o Rio Grande do Sul até Roraima, em localidades que reúnem um número grande de empresas e indústrias. "O segredo desse conceito de hotel é ter apartamentos confortáveis, com média de 35 metros quadrados, e serviços enxutos, o que possibilita uma diária competitiva com os hotéis mais econômicos", explica.Segundo o executivo, cada unidade está orçada em R$ 8 milhões, e a construção deve seguir até 2010. "Esse projeto prevê a geração de 2,5 mil empregos diretos e outros 7,5 mil indiretos", ressalta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.