Empresa irregular terá até maio para se explicar à ANP

A Agência Nacional do Petróleo (ANP) deu um prazo até maio para que as empresas notificadas por irregularidade na comprovação de conteúdo nacional nas fases exploratórias esclareçam a situação. Conforme antecipado pelo "Estado" no início do mês, a Petrobrás responde por 44 desses contratos e terá que arcar com uma multa de R$ 28 milhões, caso não consiga comprovar a contratação nacional de equipamentos. Segundo a ANP, pelo menos 70 contratos auditados, num universo de 749 em vigor, não tiveram comprovada a aquisição de bens em áreas arrematadas entre 2003 e 2004.

Kelly Lima, O Estado de S.Paulo

20 de abril de 2011 | 00h00

Além da Petrobrás, há 12 contratos auditados da portuguesa Petrogal, nove da Petrosinergy, do empresário German Efromovich, e um da Shell. A multa da Petrobrás pode ser elevada para até R$ 600 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.