Empresa mira também varejo

A italiana Luxottica fechou a compra de 80% da Tecnol por R$ 143,7 milhões no início de dezembro do ano passado. A companhia também assumiu dívidas de R$ 31 milhões da Tecnol e, em outubro, pagou mais R$ 31 milhões pelos 20% restantes da brasileira.

O Estado de S.Paulo

22 de dezembro de 2012 | 02h07

A Luxottica, que operava no País apenas por meio da importação de óculos, também inaugurou em 2011 suas primeiras lojas - com a bandeira Sunglasshut - no mercado brasileiro.

Durante 2011, a empresa abriu 12 lojas. Agora, já são 22 lojas Sunglasshut no País, e o plano para o ano que vem é de inaugurar ao menos mais dez pontos de venda.

"O Brasil é um mercado muito peculiar porque não existe no País grandes varejistas de óculos", diz Ennio Perrone, diretor de marketing e de produção da Luxottica Brasil. A maior parte das óticas são pequenas empresas, com poucas lojas. "As grandes redes estão começando a se formar agora", afirma. Uma delas é a Óticas Carol, do empresário Marcos Rolim, filho do fundador da TAM. A empresa, que opera pelo sistema de franquias, tem 510 lojas e quer chegar a 700 ao fim de 2013.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.