Empresa pode fazer nova oferta, segundo fonte

A Telefónica deve preparar uma nova oferta pela fatia da Portugal Telecom (PT) na Vivo, depois de ter deixado sua oferta de ? 7,15 bilhões expirar na última sexta-feira. Segundo apurou a Agência Estado, a operadora não estendeu novamente o prazo para enfraquecer os portugueses na negociação.

, O Estado de S.Paulo

20 de julho de 2010 | 00h00

"Se a Telefónica tivesse prorrogado a oferta, teria fortalecido os portugueses", afirmou uma fonte que acompanha a operação. Segundo essa fonte, na nova rodada de negociações, os espanhóis não pretendem alterar o preço, mas podem modificar condições de pagamento para convencer o governo português a aceitar o negócio. Procurada pela reportagem, a Telefónica no Brasil afirmou desconhecer este plano.

A retomada da oferta, nos mesmos moldes da anterior, é a alternativa preferida pelos espanhóis, segundo a fonte. A segunda alternativa, mais demorada, seria recorrer ao Tribunal de Arbitragem de Haia. A possibilidade de a Telefónica comprar diretamente a Portugal Telecom estaria fora da mesa, segundo a fonte. Os espanhóis temem o desgaste político que seria gerado pelo negócio. / NATALIA GÓMEZ

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.