Empresa tem mais um suicídio

Se os negócios vão bem para o grupo France Télecom, proprietário da marca Orange, o mesmo não se pode dizer do clima de trabalho na empresa. A companhia confirmou ontem a ocorrência do 22.º suicídio de um funcionário desde 2008. A vítima foi um ex-sindicalista e técnico do segmento de internet da Orange, vinculado ao Centro de Pesquisas de Lannion, na Bretanha. No início de julho, o técnico havia sido convocado a prestar explicações à sua direção por uma acusação anônima.

, O Estadao de S.Paulo

09 de setembro de 2009 | 00h00

As mortes vêm sendo atribuídas pelos sindicatos atuantes na empresa à pressão profissional excessiva sobre os trabalhadores. "Nós estipulamos um vínculo direto entre o suicídio e os métodos de direção da empresa como razão principal das mortes", disse à agência France Presse Christian Wipliez, delegado da Confederação Francesa Democrática do Trabalho (CFDT). Epidemias de suicídios já haviam sido enfrentadas em 2006 e 2007 na França pelas fabricantes de automóveis Renault e Peugeot.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.