Empresa terá de pagar R$ 1 milhão por dano a consumidores

A empresa atacadista Adriano Coselli, no interior paulista, foi condenada, em primeira instância, a pagar uma indenização de R$ 1 milhão por adulterar e recolocar produtos alimentícios à venda com datas de validade vencidas e impróprios para o consumo. Cabe recurso da sentença.A empresa não se pronunciou sobre a condenação, mas assessoria informou que o processo corre em segredo de justiça e que os promotores não poderiam se manifestar publicamente. O promotor de Defesa do Consumidor, Carlos Cezar Barbosa, havia pedido o ressarcimento por dano moral à coletividade de R$ 5,4 milhões. Ele vai analisar se pedirá revisão do valor. Em fevereiro de 2000, foram apreendidas mais de 200 toneladas de bacalhau, num depósito de empresa terceirizada com datas de validade vencidas. Existiam ainda outros produtos em condições inadequadas de armazenamento. Além dessa ação, a empresa, que distribui produtos em todo o País, foi processada criminalmente pelo promotor Wanderley Trindade. Ele citou o dono da empresa, Adriano Coselli, e outras 15 pessoas por formação de quadrilha, crime contra a economia popular e falsidade ideológica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.