Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Empresa usa técnicos chineses

A falta de mão-de-obra qualificada no Brasil é um problema também entre as profissões mais especializadas. Para resolvê-lo, as empresas têm buscado vários tipos de solução, como financiar treinamentos, trazer à ativa profissionais aposentados e até importar mão-de-obra. A Politec, empresa brasiliense que desenvolve soluções em Tecnologia de Informação (TI), optou por outra saída: exportação dos empregos. Desde o final de 2006, quando fez parceria com uma empresa de TI chinesa, a New Soft, a Politec usa engenheiros chineses para concluir seus projetos quando não consegue encontrar os profissionais no Brasil. Assim, por exemplo, um programa de segurança encomendado por um cliente americano ou europeu pode ser concebido e elaborado com a tecnologia brasileira, mas montado por chineses.Na avaliação do vice-presidente da empresa, Humberto Ribeiro, se o Brasil quiser crescer na produção de softwares, terá de formar por ano pelo menos 100 mil engenheiros em tecnologia. Hoje são formados, em média, 35 mil.

O Estadao de S.Paulo

21 de julho de 2007 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.