Empresário é condenado por fraude em empresa no Japão

Takafumi Horie, fundador do grupo de internet japonês Livedoor, foi condenado nesta sexta-feira, 16, a dois anos e meio de prisão por violação das leis bolsistas, informou a agência Kyodo.A promotoria tinha pedido uma condenação de quatro anos para Horie, de 34 anos, por supostas fraudes financeiras e violação das leis bolsistas. O caso abalou a classe empresarial japonesa e afetou a Bolsa de Tóquio em janeiro de 2006.Quando surgiu o escândalo, o índice Nikkei sofreu quedas de até 400 pontos, então as maiores desde os atentados de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos.Horie era considerado um símbolo da jovem economia "pontocom" e um modelo da nova classe de executivos inovadores japoneses. Até que, em janeiro de 2006, foi detido por manipular os resultados financeiros da Livedoor.O ex-presidente da empresa e outros quatro diretores foram acusados de manipular os números de 2004 para elevar o valor das ações na bolsa, mostrando lucro de 5 bilhões de ienes (US$ 42,7 milhões) quando a realidade era de prejuízo.Num julgamento que levou seis meses, o tribunal distrital de Tóquio considerou que Takafumi Horie cometeu fraude financeira e enganou os investidores.Ao contrário de muitos escândalos corporativos anteriores, em que os executivos confessam sua culpa em troca de uma pena mais amena, Horie sustentou que era inocente até o final do julgamento.O empresário deve recorrer da condenação, segundo a Kyodo. Ele estava em liberdade condicional desde abril.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.