Empresário mineiro diz que Alencar tem atitude quixotesca

O presidente do Conselho de Política Econômica e Industrial da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Lincoln Gonçalves Fernandes, comparou hoje a enfática defesa do vice-presidente José Alencar pela queda da taxa básica de juros à ?uma atitude quixotesca?.?Eu entendo que a postura do vice-presidente é de quem está querendo derrubar alguns moinhos de vento?, disse Fernandes, numa alusão ao personagem Don Quixote de La Mancha, do escritor espanhol Miguel de Cervantes (1547 a 1616). ?Ele está levantando uma bandeira de forma muito isolada, fantasiosa, sonhadora?, afirmou.Pode-se entender como moinhos de vento, segundo ele, todo o sistema financeiro, a quem interessa a manutenção das taxas elevadas e que exerce uma forte pressão sobre a equipe econômica do governo federal. ?A equipe econômica é até boa. Ela está é contaminada pelo lobby do sistema financeiro?, disse o empresário.Embora concorde com às críticas de Alencar quanto à manutenção do atual patamar ? que ele chamou de ?irresponsável? ? da Selic, de 26,5% ao ano, Fernandes disse que não concorda com a idéia de que as decisões sobre a redução dos juros sejam tomadas na esfera política, como defendeu o vice-presidente. ?Ele (Alencar) tem razão quando diz que as taxas têm de baixar, mas não dessa maneira intempestiva, emocional?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.