carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Empresário paulista pede incentivos ao crescimento

O diretor de competitividade industrial da Fiesp, Mario Bernardini, disse hoje que apesar de haver espaço para a redução dos juros básicos na semana que vem, na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), há outras maneiras para reativar a economia. "Pode-se diminuir o spread (diferença entre captação e empréstimo) bancário, cortando compulsório, diminuindo o IOF, provocando uma competição entre os bancos a partir das instituições do governo, como a Caixa Econômica Federal (CEF) e o Banco do Brasil (BB)", disse.Para ele, não há outra saída para o Brasil resolver problemas econômico-sociais senão o crescimento. "A pergunta é a seguinte: o governo, o Banco Central e a Fazenda acreditam que se resolvem os problemas do País só administrando juros, sem crescer? Se acreditam, fecho a fábrica, vou para casa e volto daqui a dois anos. Se não acreditam, então estão indo na direção errada, porque há 10 anos se tenta isso sem resultado", afirmou.Bernardini disse que a hora para cortar juros é essa. "Daqui a dois meses, os índices de inflação voltam a subir um pouco por conta de reajustes de preços administrados. Daí o BC terá a desculpa ideal para não cortar", disse. "O que será que eles (técnicos do BC) querem para baixar os juros, uma garantia por escrito de que a inflação não vai subir"?, disse.

Agencia Estado,

16 de maio de 2003 | 17h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.