Empresário prefere acordo menor com europeus do que nada

O presidente do Fórum Empresarial Mercosul-União Européia, Ingo Plöger, defendeu hoje um acordo de livre comércio entre o Mercosul e a União Européia, mesmo que ele não seja tão abrangente. "A inserção do Mercosul no mercado global é importante, mais ainda diante do avanço da China e do México, que são hoje os grandes competidores do Brasil, principalmente no que se refere à captação de investimentos", disse.Ele afirmou que as dificuldades que os negociadores estão encontrando para chegar a um acordo, não só em Bruxelas esta semana, como nas reuniões anteriores, decorrem de "fragilidades" nos dois blocos. Pelo lado Europeu, Plöger disse que "existem grandes resistências na área agrícola, não só por causa da adesão de outros 10 países à União Européia, mas também porque há ainda pontos não fechados nos acordos agrícolas internos". Para ele, uma negociação muito abrangente com o Mercosul poderia provocar problemas entre os europeus. Pelo lado do Mercosul, disse, existem problemas na união aduaneira, que não é perfeita. "Ambos os lados têm fragilidades que precisam ser entendidas para, depois, ser melhor avaliadas."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.