Empresário que negociou a Varig, agora quer a Vasp

Apesar de cobrar na Justiça uma dívida de US$ 186 milhões por empréstimos concedidos para a nova Varig, o representante no Brasil do fundo americano Matlin Patterson, Lap Chan, garante não estar arrependido de ter investido em aviação e se prepara para um novo empreendimento, desta vez na Vasp. Nascido em Hong Kong e naturalizado brasileiro, ele comprou uma participação acionária da empresa de manutenção de aviões Digex, de São José dos Campos (SP), para fazer uma oferta pelo setor de revisão de aviões da Vasp."A área que nos interessa (na Vasp) não é a de passageiros. O mercado está muito diferente hoje, depois do que aconteceu com o apagão aéreo. As áreas de manutenção e, talvez, de cargas podem ser interessantes", afirmou Chan, que tinha um ano e meio de idade quando chegou ao Brasil, de onde saiu temporariamente aos 17 anos para estudar economia nos EUA.Chan foi o principal responsável pela operação que levou a Varig para o controle do Matlin Patterson. Sócio minoritário do fundo, ele participou intensamente das assembléias e de reuniões com advogados, trabalhadores e credores que antecederam o leilão da Varig. A empresa foi arrematada por US$ 24 milhões em julho de 2006. Este ano, foi vendida à Gol por US$ 320 milhões. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AE, Agencia Estado

05 de outubro de 2007 | 08h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.