Empresários brasileiros buscam alianças têxteis na Argentina

Empresários brasileiros do setor têxtil buscam estabelecer alianças comerciais com seus homólogos argentinos e de outros países da região na segunda edição do Brasil Fashion Meeting, que começou hoje em Buenos Aires. O encarregado da mostra, Herley Reinert, disse que o propósito é fazer com que os empresários de Argentina, Chile, Peru e Uruguai discutam as diferenças e aproveitem as oportunidades de negócios com os brasileiros. "Se existe um acordo, um mercado comum na região, nós temos que aproveitá-lo da melhor maneira possível", disse. O organizador destacou as grandes possibilidades de negócios que o encontro oferece. Nele, espera-se que sejam fechadas operações avaliadas em US$ 20 milhões. Participam do encontro 14 empresas brasileiras, 20 chilenas, uruguaias e peruanas e 130 argentinas. No total, os organizadores esperam a participação de 500 representantes de instituições e companhias relacionadas ao setor têxtil entre hoje e quarta-feira, dia em o evento acabará. Para Herley, os empresários devem explorar "fórmulas" para alcançar alianças que permitam a exportação para terceiros países, aproveitando as possibilidades que o Mercosul, bloco comercial formado por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, oferece com os associados Chile, Bolívia, Equador, Colômbia, Peru e Venezuela. Os organizadores do Brasil Fashion Meeting, a segunda mostra deste tipo feita na capital argentina, esperam agora que os empresários e as instituições têxteis se animem a fazer encontros similares no Brasil para "continuar buscando vias de trabalho em conjunto".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.