Empresários brasileiros na Argentina pedem Mercosul mais forte

Os empresários do Grupo Brasil, entidade que reúne mais de 190 empresas brasileiras na Argentina, cobraram hoje do presidente da Câmara dos Deputados, João Paulo Cunha (PT-SP), medidas concretas para o fortalecimento do Mercosul. Com crítica às políticas de integração, o presidente do Grupo Brasil, Elói de Almeida, cobrou a "construção de instituições supra nacionais sólidas e eficazes". Ele disse que "em grande parte, quem tem a responsabilidade de pensar, projetar e desenhar as formas e objetivos das instituições que o Mercosul deve construir são os parlamentares". Elói de Almeida apelou para a constituição de uma "estrutura de arbitragem comercial eficaz", destacando que "se há uma diferença entre o Brasil e a Argentina, não é bom para nenhum dos dois sócios que o problema seja levado à Organização Mundial de Comércio", como tem ocorrido. O empresário defendeu a criação de um Parlamento do Mercosul e cobrou a instituição de leis para que a população de 200 milhões de habitantes dos países sócios tenham a condição de "cidadãos do Mercosul".

Agencia Estado,

18 Julho 2003 | 16h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.