Empresários cobram de Lula incentivo para exportação

A abertura política e econômica que o Brasil está criando na América Latina e entre outros países emergentes, incluindo detentores de grandes mercados como a China e a Índia, pode diminuir o risco país e reduzir a estagnação econômica pelo caminho da exportação, afirmou hoje o presidente do Instituto de Estudos e Desenvolvimento Industrial (Iedi), Ivoncy Ioschpe. Ele pediu ao presidente Lula que medidas para incentivar as vendas externas durante reunião nesta terça-feira, em São Paulo.De acordo com Ioschpe, o limite de risco país é determinado pela relação que existe entre as exportações e o endividamento. "O endividamento brasileiro hoje equivale a três vezes as exportações o que faz com que o índice de risco do Brasil no mercado financeiro internacional seja muito alto, o que o torna extremamente vulnerável durante as crises", disse.Segundo ele, durante a reunião de hoje os representantes do Iedi "tentaram mostrar" ao presidente que o Brasil pode aumentar as exportações. "Principalmente porque o Brasil está abrindo espaço onde o País pouco operava", afirmou ele, citando a China e a Índia.Ioschpe disse que na reunião não se discutiu a questão da taxa básica de juros. "Até porque essa não é uma questão do presidente da República, mas do Banco Central", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.