Empresários consideram reforma tributária "tímida"

A Câmara Americana de Comércio de São Paulo entregou ao governo um documento no qual conside "tímida" a reforma tributária implantada e salienta que os empresários "testemunham a crescente redução do investimento direto estrangeiro, do investimento do empresário nacional e uma crescente migração de empresas para a informalidade". Em boa parte, atribuem isso ao ineficiente sistema tributário brasileiro e à dificuldade de reformá-lo. De acordo com o documento, a aprovação de uma boa reforma tributária é condição para que se façam mais investimentos, o que consequentemente gera crescimento econômico e empregos. O material fala que "o Brasil tem um sistema tributário complicado, oneroso e injusto, e a necessidade de reformá-lo é unanimidade nacional" A Amcham-SP ressalta que o projeto do governo enviado ao Congresso aproveitou parte das sugestões da Câmara em sua exposição de motivos, mas não as incluiu no texto da reforma. A Amcham apoiou a iniciativa do governo especialmente pela introdução do ICMS federalizado, o que contribuiria para a simplificar o sistema tributário e para facilitar o comércio internacional. O documento salienta ainda que apesar do governo alegar que foi aprovadou a reforma que foi possível, "o desafio político é fazer possível a reforma tributária de que o País precisa, é fazer possível o que pareça impossível".

Agencia Estado,

10 Março 2004 | 14h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.