Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Empresários de Brasil e México querem acordo

Empresários do Brasil e do México pressionam os dois governos por um ?acordo amplo? até junho de 2010. O setor privado quer aproveitar a visita do presidente mexicano Felipe Calderón, que chega ao Brasil no sábado, para arrancar um compromisso político de maior abertura de mercado.

AE, Agencia Estado

10 de agosto de 2009 | 09h51

Um documento produzido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e pelo Conselho Empresarial Mexicano de Comércio Exterior (COMCE) foi enviado a autoridades dos dois países na semana passada. No Brasil, receberam a carta os ministros de Relações Exteriores, Celso Amorim, e de Desenvolvimento, Miguel Jorge.

Os empresários pedem o fim das tarifas de importação na maior parte dos produtos industriais, por meio da ampliação do atual acordo entre os dois países, que hoje, na prática, só funciona para automóveis. Na agricultura, os brasileiros reconhecem a necessidade de exceções para proteger o México. O setor privado quer que o acordo inclua compromissos de abertura dos setores de serviços e de facilitação dos investimentos. ?A ampliação do acordo comercial é um tema prioritário da agenda. Deve haver alguma instrução dos presidentes nesse sentido?, afirmou o cônsul do México em São Paulo, Salvador Arriola. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
BrasilMéxicocomércioacordo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

  • O Pix é seguro? Veja dicas de especialistas sobre o sistema de pagamentos
  • 13º salário: quem tem direito, datas e como a pandemia pode afetar o cálculo
  • Renda básica: o que é, quais os objetivos e efeitos e onde é aplicada

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.