Rafael Arbex/Estadão
Rafael Arbex/Estadão

Empresários e sindicalistas se unem em ato na Paulista em defesa da indústria

Manifestação chegou a fechar um trecho da avenida no sentido Consolação; manifestantes criticaram a política industrial do governo Dilma, em especial o aumento dos juros

Luiz Guilherme Gerbelli, O Estado de S. Paulo

13 de agosto de 2015 | 12h04

Atualizada às 14h30

SÃO PAULO - Empresários e sindicalistas fizeram uma manifestação nesta quinta-feira, 13, contra a política econômica do governo federal. O ato, batizado de "Grito em Defesa da Indústria e do Emprego", foi liderado pela Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) e teve o apoio da Força Sindical, da Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB) e da União Geral dos Trabalhadores (UGT).

A manifestação começou às 10h na Avenida Paulista e terminou por volta das 12h em frente ao Masp. Um trecho da via, no sentindo Consolação, chegou a ser interditado.

Do alto de um caminhão de som, empresários e sindicalistas criticaram a política econômica do governo Dilma Rousseff, em especial o aumento da taxa básica de juros. O setor industrial brasileiro tem sido um dos principais afetados pela desaceleração econômica. Entre janeiro e junho, a produção da indústria recuou 6,3%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

"Não para esse juro pornográfico que mata as empresas e os consumidores. Não para esse sistema de impostos que favorece a importação e desfavorece a exportação. Não para o câmbio desequilibrado que também favorece a importação e não a produção local", afirmou Carlos Pastoriza, presidente da Abimaq.

O movimento se declara apartidário, mas alguns sindicalistas e empresários convocaram os manifestantes para o protesto contra o governo no próximo domingo, 16.

"O governo tenta resolver a crise não só nas costas da indústria, mas também na dos trabalhadores", afirmou Paulinho da Força, deputado federal e presidente do Solidariedade. "Estamos a dois dias da maior manifestação que o Brasil vai fazer contra esse governo. Por isso, no domingo, todo mundo aqui na Paulista."


Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.