Empresários europeus e do Mercosul pedem avanço agrícola

Depois do fracasso da conferência ministerial da OMC "é necessário que haja um esforço para avançar em todos os temas agrícolas" nas negociações para um acordo de livre comércio entre a União Européia e o Mercosul, disseram empresários dos dois blocos econômicos, na Declaração de Brasília, formulada durante o Foro Empresarial Mercosul-UE (MBEF), que terminou hoje.Segundo o comissário da UE para empresas e informações à sociedade, Erkki Likanen, as relações entre os países do Mercosul e da UE têm passado por tempos difíceis, depois da falta de acordo no México. "Cancún forçou uma reflexão abrangente sobre a maneira como se faz política comercial", disse Likanen. "Os países, principalmente os em desenvolvimento, perderam uma chance de tirar mais proveito dos benefícios da abertura dos mercados".Os empresários disseram ainda que o sucesso das negociações com a Europa também depende de uma integração maior dentro do Mercosul. "O MBEF apela aos governos do Mercosul que se empenhem em transformar em realidade as manifestações de intenção de consolidar e aprofundar a união aduaneira. Isso é muito importante para estimular os negócios entre os dois blocos", diz o documento.Na Declaração de Brasília, os empresários também avalizaram a reivindicação européia, de que o Mercosul apresente uma oferta para a liberalização de compras governamentais, "uma vez que a União Européia já apresentou a sua". O Brasil, entretanto, vem resistindo a negociar a abertura para estrangeiros nas licitações públicas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.