Empresários já se aventuraram no setor aéreo

O temor de que os passageiros trocassem o ônibus pelo avião levou alguns empresários do setor a investir em companhias aéreas. A empreitada mais famosa foi a dos Constantinos, donos do grupo Comporte, que fundaram a Gol em 2001. Além deles, no entanto, outros nomes do mercado de ônibus passaram pelo setor aéreo. Um dos primeiros a partir do ônibus para o avião foi Wagner Canhedo, que comprou a Vasp em 1990 no processo de privatização e foi seu dono até a falência, em 2008. A família Barata chegou a ser sócia da Webjet, que foi vendida, em 2008, para o fundador da CVC, Guilherme Paulus.

MARINA GAZZONI, O Estado de S.Paulo

09 de março de 2015 | 02h05

Outro que passou pelo setor foi Clésio Andrade, presidente da Confederação Nacional de Transportes e dono de empresas de ônibus em Minas. Em 2002, ele lançou a Air Minas, que parou de voar em 2010. Apesar das dificuldades do setor aéreo, alguns empresários de ônibus persistiram. As famílias Caprioli e Chieppe, antigas donas da Trip, hoje são sócias da Azul. A Passaredo, criada nos anos 90 para diversificar o negócio da Viação Passaredo, de transporte rodoviário, está em recuperação judicial. 

Tudo o que sabemos sobre:
O Estado de S. Pauloônibusaviação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.