Empresários mineiros e gaúchos elogiam juro menor

Os industriais de Minas Gerais e do Rio Grande do Sul aprovaram a redução dos juros promovida hoje pelo Banco Central, mas esperam a retomada do desenvolvimento econômico só a partir do último trimestre. O presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs), Renan Proença, disse que "queda apenas atenua os efeitos danosos impostos às atividades produtivas e à circulação de mercadorias". Para ele, a tendência de queda dos juros reduz o impacto negativo que se observava na atividade econômica, mas não resolve os prejuízos registrados até agora. Já o presidente da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), Robson Braga de Andrade, disse que a decisão do Copom traz confiança aos industriais mineiros e que a expectativa é que o Banco Central mantenha nas próximas reuniões a mesma postura, reduzindo gradualmente a taxa Selic e ampliando a oferta de crédito. "A redução da taxa de juros básica potencializa a decisão recém tomada de redução do compulsório", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.