Marcos Corrêa/PR
Marcos Corrêa/PR

Empresários pedem crédito e reformas em reuniões com Bolsonaro, Alcolumbre e Toffoli

Os encontros foram puxados pelo presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, Paulo Skaf

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

03 de julho de 2020 | 19h20

BRASÍLIA - Um grupo de empresários pesos-pesados do Produto Interno Bruto (PIB) nacional fez um périplo por Brasília nesta sexta-feira, 3, cobrando a liberação de recursos durante a pandemia de covid-19 e a retomada de uma agenda de reformas econômicas após a crise do novo coronavírus.

Os encontros foram puxados pelo presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf (MDB). O emedebista selou publicamente alinhamento com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O grupo almoçou com Bolsonaro no Palácio da Alvorada e depois teve uma agenda com os presidentes do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, e do Congresso, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

No mesmo encontro, estavam Rubens Ometto (Cosan), Rubens Menin (MRV), Luiz Carlos Trabucco (Bradesco), Candido Pinheiro (HapVida), Fernando Queiroz (Minerva Foods), Carlos Alberto Oliveira (CAOA), Eugênio Mattar (Localiza), Francisco Gomes (EMBRAER) e Lorival Nogueira (BRF).

O ministro da Economia, Paulo Guedes, também esteve no almoço. Os empresários reforçaram apoio à agenda do governo, mas pressionaram pelo destravamento de crédito durante a pandemia. O Executivo federal formulou programas para liberar financiamento às empresas e amenizar os efeitos da crise. Empreendedores, porém, relataram dificuldade para conseguir o dinheiro nos bancos.

Nos encontros, houve um discurso pela pacificação entre os Poderes diante da relação conturbada do presidente Jair Bolsonaro com o Supremo Tribunal Federal e o Congresso. Nas últimas semanas, o chefe do Planalto tem feitos acenos ao STF e também negociado cargos com partidos do Centrão.

"Saímos todos leves dessas reuniões. Sentimos um clima de pacificação e harmonia entre os chefes dos três Poderes. É disso que o Brasil precisa para olhar pra frente e iniciar a reconstrução com uma agenda de reformas e futuro", afirmou Paulo Skaf ao Broadcast Político.

Na sequência do almoço, a comitiva foi recebida por Toffoli e Alcolumbre. Nas duas audiências, os empresários defenderam a retomada de uma agenda econômica liberal após a pandemia de covid-19, incluindo reformas paradas no Congresso, entre elas as mudanças no sistema de tributos do País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.