coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Empresários querem adesão da Venezuela ao Mercosul

Dirigentes de entidades empresariais que mantêm comércio com a Venezuela estiveram hoje com os presidentes da Câmara, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), e o interino do Senado, senador Tião Viana (PT-AC), para pedir a aprovação do protocolo que irá autorizar o ingresso da Venezuela no Mercosul. Esse protocolo deve ser votado pela Comissão de Relações Exteriores da Câmara no próximo dia 24. Em seguida, o documento terá que ser submetido à Comissão de Constituição e Justiça para depois passar pelo plenário da Câmara. Só então será encaminhado ao Senado.O presidente da Câmara Venezuelana-Brasileira de Comércio e Indústria, José Francisco Marcondes Neto, ressaltou que o ingresso no Mercosul é importante para o Norte e o Nordeste do Brasil. "O Mercosul tem beneficiado o bloco Sul e Sudeste. Para que o Norte e o Nordeste se insiram no Mercosul, é necessário o ingresso da Venezuela e, posteriormente, dos demais países andinos", afirmou Marcondes Neto, ao sair do encontro com Chinaglia e Tião Viana. Ele disse que o comércio entre Brasil e Venezuela está na ordem de US$ 4,5 bilhões por ano, mas se trata, em grande parte, de exportações brasileiras. Entre os produtos exportados pelo Estado do Amazonas, por exemplo, estão aparelhos celulares, televisores e produtos eletroeletrônicos.O deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), que acompanhou o grupo de dirigentes empresariais, disse que não vê dificuldades na aprovação do ingresso da Venezuela no Mercosul, porque se trata de assunto de interesse dos dois países. "A integração é de dois povos, e não de dois presidentes", afirmou Rebelo, ao ser questionado sobre as dificuldades políticas por causa de declarações do presidente venezuelano, Hugo Chávez.O relator do protocolo na Comissão de Relações Exteriores, deputado doutor Rosinha, disse que a resistência ideológica contra a entrada da Venezuela já foi superada. Ele acredita na aprovação da proposta na próxima semana. "O PSDB tinha se esquecido de falar com os empresários brasileiros", provocou Rosinha, referindo-se à resistência dos tucanos. O relator acredita na possibilidade de aprovação ainda neste ano pelo Congresso do ingresso da Venezuela no Mercosul.

DENISE MADUEÑO, Agencia Estado

16 de outubro de 2007 | 13h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.