Empresários são condenados culpados por fraude na Enron

Os dois prováveis principais responsáveis pelo colapso da Enron - maior escândalo financeiro da história dos Estados Unidos - , Kenneth Lay e Jeffrey Skilling, foram declarados culpados nesta quinta-feira por conspiração e fraude. Caso o juiz confirme o veredicto, passarão o resto de suas vidas na prisão.Após quatro anos e meio de investigações, quatro meses de julgamento em Houston e seis dias de deliberações, o júri de 12 pessoas culpou Lay pelas seis acusações que lhe eram feitas, e Skilling foi declarado culpado de 19 das 28 acusações às quais respondia.O júri considerou que ambos mentiram sobre os problemas financeiros que provocaram a quebra da companhia em 2001, mas em 11 de setembro um juiz dará a palavra final sobre o destino dos dois.Fontes judiciais disseram que Lay poderá pegar 45 anos de prisão, enquanto Skilling pode ser condenado a até 185 anos.Acusações Skilling, de 52 anos, foi considerado culpado de uma acusação de conspiração, 17 de fraude e falsidade, e uma abuso de informação privilegiada. Lay, de 64 anos, foi culpado pelas seis acusações que lhe eram feitas, relacionadas a fraude e conspiração.Em outro julgamento paralelo sobre suas contas bancárias, o juiz distrital Sim Lake declarou Lay culpado de quatro acusações de fraude bancária e de produzir falsos extratos de sua conta.Já o júri considerou em seu veredicto que os dois executivos mentiram reiteradamente para permitir uma ampla rede de artifícios contábeis e de operações escusas que levaram a Enron à falência.Logo depois de ouvir as considerações do júri, Skilling, disse que se sentia "desapontado" com os resultados dos seis dias de deliberações do júri, e acrescentou que essa "é a maneira na qual funciona o sistema (judicial)".Um de seus advogados, Dan Petrocelli, disse que sua equipe "travou uma grande batalha até o momento", e que agora estudará a apresentação de um recurso de apelação. "A luta acaba de começar", acrescentou.Por enquanto, nem Lay nem seus advogados se pronunciaram.Fiança O juiz do caso, Sim Lake, impôs uma fiança de US$ 5 milhões a Lay e o obrigou a entregar seu passaporte antes de abandonar a sessão, enquanto considerou "suficiente" a fiança que já tinha imposto a Skilling em outra ocasião.No governo, o "número dois" do Departamento de Justiça, Paul McNulty, disse nesta quinta que a "Enron é o símbolo dos escândalos empresariais", e que casos como este "nos encorajam a lutar contra a corrupção onde quer que a encontremos"."Vamos continuar perseguindo de forma implacável qualquer tipo de corrupção", disse McNulty, após agradecer a todos aqueles que colaboraram na investigação do caso.Com a inclusão de Lay e Skilling, já são 16 os ex-executivos da Enron que foram declararam culpados ou foram condenados por seu papel na falência da corporação da área de energia.Histórico A Enron, que chegou a ser a sétima maior companhia dos Estados Unidos, entrou em colapso em dezembro de 2001, protagonizando o maior desastre financeiro da história do país, quando se descobriu que a firma tinha realizado operações não registradas em sua contabilidade para ocultar sua dívida e inflar seus lucros.Além disso, foi o primeiro a uma série de escândalos que incluiu a queda da "WorldCom", "Global Crossing", "Healthsouth" e "Adelphia Communications".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.