Empresas brasileiras perdem pouco com Argentina

O diretor do Center Group e administrador de empresas com negócios no Brasil e na Argentina, German Segré, disse à Rádio Eldorado AM concordar com o estudo divulgado pela agência de classificação de riscos Standard & Poor´s. A pesquisa revela que empresas brasileiras com negócios na Argentina estão razoavelmente protegidas da crise e que suas perdas devem ser limitadas. "Não só concordo (com o estudo), como ainda acho que o novo rumo que a economia argentina está tomando pode vir a ser, para algumas empresas brasileiras, uma oportunidade, mais do que um problema", diz.De acordo com a análise de Segré, apesar de a Argentina ter necessidade de exportar mais para equilibrar sua balança comercial, ela não é auto-suficiente e deve continuar importando. Neste caso, o Brasil tem uma série de vantagens competitivas em relação aos terceiros mercados. "O Brasil, por estar dentro do Mercosul, não tem imposto de importação sobre os produtos, como acontece com os terceiros mercados. A isso vem se acrescentar a política do Governo brasileiro de aumentar os limites do Convênio de Créditos Recíprocos (CCR)", avalia.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.