JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

coluna

Carolina Bartunek no E-Investidor: 5 tendências prejudiciais para quem investe em ações

Empresas de calçados de Franca decidem parar produção

Apesar da prefeitura da cidade recomendar suspensão das atividades por um período de 7 dias, sindicato do setor preferiu seguir as recomendações da Unimed e parar por 15 dias

Mônica Scaramuzzo, O Estado de S. Paulo

19 de março de 2020 | 20h07

As empresas de calçados de Franca (SP), um dos principais polos produtores do setor, decidiram interromper suas atividades por conta do novo coronavírus. Segundo o presidente do Sindicato da Indústria de Calçados de Franca (Sindifranca), José Carlos Brigagão do Couto, a recomendação da prefeitura de Franca é uma parada de 7 dias. "Mas decidimos seguir recomendação da Unimed e vamos paralisar 15 dias, mas reavaliando as datas. O momento agora é de recolhimento."

A região conta com 550 empresas e emprega 17 mil trabalhadores. Parte das empresas já está desativada. Segundo Couto, a recomendação do Sindifranca é de que toda a cadeia calçadista pare. Se as orientações forem seguida, a paralisação atingirá mais de 1.000 empresas da região.

A Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) começou a fazer uma pesquisa com os empresários do setor para fazer levantamento das empresas que devem ou não encerrar suas atividades por conta do coronavírus.  O setor, que emprega 270 mil trabalhadores, fatura cerca de R$ 23 bilhões.

Em fevereiro, quando o novo coronavírus estava mais restrito à China, a Abicalçados já tinha revisado o crescimento deste ano, de 2,5% para 2,2%, disse Haroldo Ferreira, presidente da entidade. 

Hoje, a Abicalçados se reuniu com representantes das indústrias de máquinas e equipamentos da indústria de calçados, de couros e lojistas do Rio Grande do Sul. Com o cancelamento de pedidos por parte do varejo, a cadeia do setor está estudando alternativas para evitar um colapso maior para toda a indústria.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.