Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Sergio Moraes/Estadão
Sergio Moraes/Estadão

Empresas de Eike Batista lideram perdas em bolsa nos EUA e AL em 2013

A petroleira OGX, com queda de 77,9%, e o estaleiro OSX, com recuo de 77,5%, estão no topo do ranking

Vinicius Neder e Mônica Ciarelli, da Agência Estado,

17 de junho de 2013 | 14h59

RIO - O inferno astral das empresas do empresário Eike Batista no mercado acionário é tamanho que quatro delas figuram entre os 20 papéis com pior desempenho este ano em bolsas de valores da América Latina e dos Estados Unidos. Levantamento feito pela consultoria Economática revela que a petroleira OGX, com perda de 77,9%, e o estaleiro OSX, com recuo de 77,5%, lideram o ranking.

A MMX Mineração (queda de 67,2% em dólar) tem o sexto pior desempenho, enquanto a LLX Logística, dona do projeto do Porto do Açu, no litoral norte do Rio, amarga desvalorização de 50,4% e está na 15ª colocação. A pesquisa, referente ao período de 2 de janeiro até 14 de junho, levou em conta apenas ações com volume de negociação diário acima de US$ 1 milhão.

"As empresas do grupo X são muito ligadas entre elas. Por isso, uma acaba arrastando as outras", avalia Álvaro Bandeira, sócio da gestora de recursos Órama. Para o executivo, o atual preço dos papéis já embute os problemas que as companhias de Eike Batista enfrentam. "O risco de o grupo quebrar já está no preço. Daqui para a frente, as ações vão ficar nas mãos de quem aceita assumir mais risco", afirmou.

Na semana passada, a Fitch Ratings rebaixou a classificação de risco da petroleira OGX. Em nota, a agência justificou o movimento em função da crescente incerteza em relação à capacidade do acionista controlador em honrar a uma put no valor de US$ 1 bilhão com a OGX. Operação que seria importante para dar mais flexibilidade financeira ao caixa da petroleira.

Entre as ações com os 20 piores desempenhos, dez são brasileiras. Além de OSX, OGX, MMX e LLX, aparecem no ranking a petroleira HRT (-60,5%, em 9º), a Eletropaulo (queda de 60%, em 10º lugar), a B2W (-54,6%, em 11º), a Brookfield (-53,8%, em 12º), a operadora Oi (ocupando as posições 18ª e 19ª, com a queda de 45,8% do papel PN e de 44,8% do ON) e a Companhia Siderúrgica Nacional (-43,6%, em 20º).

Isso reflete o mau desempenho da BM&FBovespa este ano: o Ibovespa acumula queda de 19,06% até a última sexta-feira. Na outra ponta, as empresas listadas nos Estados Unidos registram as maiores altas. O Índice Dow Jones acumula alta de 15,00% até sexta-feira, e o S&P 500 avança 14,06% até a mesma data.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.