Empresas de planos de saúde são multadas

A Agência Nacional de Saúde Complementar aplicou multas que variam entre R$ 25 mil e R$ 36 mil contra sete administradoras de planos de saúde por irregularidades no atendimento a seus segurados, mas todas ainda podem recorrer da decisão por meio de recurso na diretoria colegiada na agência. A Hapvida Assistência Médica Ltda, por exemplo, recebeu quatro notificações. Segundo a diretora de fiscalização da Agência de Saúde Complementar, Maria Stella Gregori, todas as administradoras foram multadas depois da comprovação das irregularidades, constatadas por fiscais. Gregori explica que, a partir do momento em que se toma conhecimento de alguma irregularidade, é feita uma fiscalização. Constatados os problemas, abre-se um processo. As administradoras Golden Cross, Bradesco Saúde e Med Serv - Plano de Assistência Médica Ltda -, receberam multas de R$ 25 mil cada uma, enquanto que a Hapvida recebeu quatro punições, variando de R$ 25 mil a R$ 35 mil. A Amil Assistência Médica Internacional Ltda foi multada em R$ 36,2 mil. A Clínica Médico Odontológica Cenáculo teve o cancelamento do registro de seu plano médico negado e a Policlícina Central Ltda foi multada em R$ 10 mil."As multas foram aplicadas porque as empresas, de alguma forma, não cumpriram os contratos", informou a diretora. A Amil, por exemplo, teve a maior multa por ter enviado a seus clientes uma carta oferecendo uma nova cobertura, quando isso não é permitido pela Agência Nacional de Saúde Complementar. Segundo Gregori, as punições aplicadas às administradoras foram baseadas nas reclamações feitas pelos consumidores por meio dos telefones e sites colocados à disposição do público pelo telefone 0800611997 e pelo site (veja no link abaixo)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.