Empresas de tecnologia aceleram planos de IPO

Sucesso da oferta inicial do Twitter e forte alta das ações após o início das negociações animam companhias como Airbnb, site de locação de imóveis

SAN FRANCISCO, O Estado de S.Paulo

10 de novembro de 2013 | 02h14

O sucesso da oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) do Twitter na última semana deve levar a uma corrida das empresas de tecnologia em direção ao mercado financeiro. Cerca de 12 companhias avaliadas em mais de US$ 1 bilhão vinham tendo conversas informais com bancos de investimento nos últimos meses com o objetivo de chegar à bolsa. Entre elas estão Box, Square e Airbnb.

A empresa de compartilhamento de arquivos Box escolheu os bancos Morgan Stanley, Credit Suisse e JP Morgan para conduzir seu IPO. A empresa já captou US$ 1,2 bilhão em capital privado, mas ainda não se sabe se ela é lucrativa. No entanto, o fato de o Twitter operar no vermelho não impediu o microblog de levantar US$ 2,1 bilhões na sua oferta inicial. Ao preço atual de US$ 41, as ações levam à companhia a um valor de mercado de US$ 22 bilhões.

O Twitter deve abrir as portas para que companhias como a Square, empresa de pagamentos online, tentem a sorte no mercado financeiro. A empresa, que foi criada por Jack Dorsey, cofundador do Twitter, não teria perspectiva de lucro antes de 2015, segundo o jornal Wall Street Journal.

O serviço de locação de imóveis online Airbnb também é vista como uma possível candidata a um IPO. Uma de suas vantagens seria o fato de que o negócio já dá lucro, de acordo com o analista Michael Pachter.

A Dropbox, outra empresa de compartilhamento de arquivos, valeria hoje cerca de US$ 4 bilhões, de acordo com seu presidente, Drew Houston. "Eu tenho certeza de que iremos ao mercado em algum momento, mas temos de pensar se este momento já chegou", disse Houston em setembro, em uma conferência do site Techcrunch.

A rede social Pinterest, que é avaliada em US$ 3,8 bilhões, conseguiu arrecadar US$ 22,5 milhões em dinheiro novo em outubro apesar de só ter encontrado uma forma de tornar o negócio viável um mês antes, ao iniciar a venda de anúncios. O presidente da Pinterest, Ben Silbermann, nega que a companhia tenha interesse em fazer um IPO no curto prazo.

Jeremy Liew, sócio da Lightspeed Venture Partners, casa de investimento que aplicou recursos na rede de mensagens de fotos Snapchat, diz que o Twitter ressuscitou a ideia de que as redes sociais podem ser transformadas em fontes de recrusos. "Quando você chega a muitas pessoas, há sempre uma maneira para se fazer dinheiro", diz Liew. "Isso porque as empresas desenvolvem estratégias (de marketing) baseadas no Facebook e no Twitter." / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.